Terminal (O Estado do Mundo)

“Terminal” aponta para uma ideia de fim, mas aponta também para uma ideia de interface, de ligação para outra dimensão, outra linguagem. Se queremos concentrar-nos, por um lado, na ideia da morte de uma certa visão da humanidade, que se encontra na devastação da natureza por toda a parte – essa festa despudorada do ser humano enquanto tudo arde -, queremos também atravessar o “terminal” para o futuro, procurando vislumbrar uma nova cosmogonia a emergir por força da ameaça da extinção humana.

Quatro actores e dois músicos habitam este terminal e contam-nos a sua história, antes que chegue o desfecho. Todos procuram saídas. Enquanto as inventam, adia-se o fim do mundo.

Que faremos quando tudo arde?

 

Terminal (O Estado do Mundo) é o segundo espectáculo de um díptico em torno da crise climática iniciado em 2021 com O Estado do Mundo (Quando Acordas) e foi precedido por um extenso processo de pesquisa no território ao longo do ano de 2023 (ver propostas complementares).

disponível para digressão

Próximas datas

  • 6 Abril 2024, Teatro Municipal de Ourém Estreia
  • 4 Maio 2024, Teatro Virgínia (Torres Novas)
  • 23 Maio 2024, Cine-Teatro São Pedro (Alcanena)
  • 31 Maio 2024, Teatro-Cine de Torres Vedras
  • 7 Junho 2024, Teatro Viriato (Viseu)
  • 22 Junho 2024, Centro Cultural Raiano (Idanha-a-Nova)
  • 28 a 29 Junho 2024, Lavrar o Mar / Teatro de Palha (Aljezur)
  • 15 a 21 Julho 2024, Festival d'Avignon (Avignon, FR) Estreia em França

Encenação 

Miguel Fragata

Texto 

Inês Barahona

Interpretação 

Anabela Almeida, Carla Galvão, Miguel Fragata, Vasco Barroso e (música ao vivo) Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo

Música 

Hélder Gonçalves

Cenografia 

Eric da Costa

Desenho de luz 

Rui Monteiro

Figurinos 

José António Tenente

Assistência de encenação 

Beatriz Brito

Apoio ao movimento

Victor Hugo Pontes

Construção da cenografia e adereços

Eric da Costa, João Salgado, José Pedro Sousa e Paula Hespanha

Desenho de som

Nelson Carvalho

Assistência e operação de som

Tiago Correia

Direcção técnica

Luís Ribeiro e Nuno Figueira

Produção executiva 

Luna Rebelo e Sofia Bernardo

 

Produção 

Formiga Atómica

Co-produção 

Cine-Teatro São Pedro de Alcanena, Lavrar o Mar, RTP – Rádio e Televisão de Portugal, Teatro Municipal de Ourém, Teatro Nacional Dona Maria II, Teatro Nacional São João, Teatro Virgínia, Teatro Viriato, Trigo Limpo teatro ACERT, Théâtre du Point du Jour, Festival d’Avignon

Co-produção fase de pesquisa

Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, Centro Cultural do Cartaxo, Comédias do Minho, Companhia Mascarenhas-Martins, Município de Mértola, Município de Setúbal

Apoios

CEA – Centro de Experimentação Artística, SDivine Fátima Hotel – Congress & Spirituality, Polo Cultural Gaivotas | Boavista, Teatro Meridional

Agradecimentos

António Leitão, Bruno Melo/Gate7, David Palma, Diogo Pires/SAFRA, Josué Maia, Marina Almeida, SDivine Fátima Hotel – Congress & Spirituality, Tiago Coelho/RSC Xpress

Público-alvo

Público adulto (M/14)

Duração

1h30 (aprox.)

 

Acessibilidade

Espectáculo disponível com os recursos de interpretação integrada em Língua Gestual Portuguesa (LGP) e audiodescrição (AD)

Propostas complementares: